Oportunidades e o tempo

thumbnail

Cada hora de nosso tempo tem seu valor. Cada hora que nos dedicamos a determinada tarefa poderia muito bem ser dedicada a outra, a dormir ou a assistir a um filme. Cada uma dessas opções tem um custo de oportunidade diferente – ou seja, aquilo que nos custam em termos de oportunidades perdidas.

Publicidade

Digamos que você queira assistir a uma partida de futebol, mas os ingressos são caros e você vai demorar duas horas para ir e voltar do estádio. Por que não assistir à partida em casa, você pensa, usando o tempo e o dinheiro poupados para jantar com amigos? Isso: O uso alternativo de seu dinheiro e tempo: É o custo de oportunidade.

Outro exemplo: cursar uma faculdade ou não? Por um lado, o tempo passado nela pode ser muito gratificante, intelectual e socialmente; quem tem um título universitário costuma receber melhores oportunidades de emprego. Por outro, há o custo do curso, dos livros e dos trabalhos acadêmicos.

Entretanto, esse raciocínio ignora o custo de oportunidade: nos quatro ou cinco anos de curso, você pode muito bem exercer uma atividade remunerada, ganhando dinheiro e melhorando seu currículo com valiosas experiências profissionais.

Oportunidades descartadas: O conceito de custo de oportunidade é tão importante para empresas quanto para indivíduos. Veja, por exemplo, o caso de uma fábrica de calçados. O proprietário planeja investir £ 500.000 em uma nova máquina que vai acelerar drasticamente seu ritmo de produção de sapatos de couro.

Publicidade

Esse dinheiro poderia ser depositado em uma conta bancária, na qual renderia 5% de juros ao ano. Portanto, o custo de oportunidade do investimento é de £ 25.000 por ano: O valor descartado ao se investir na máquina.

Para os economistas, cada decisão é temperada pelo conhecimento daquilo de que se deve abrir mão – em termos de dinheiro e satisfação (para fazer o que se deseja). Sabendo exatamente o que está recebendo e o que está deixando de lado, você pode tomar decisões mais racionais e bem embasadas. Percebamos ou não, todos nós tomamos decisões com base no conceito de custo de oportunidade.

Se o encanamento de casa começa a vazar, você pode resolver consertar o vazamento pessoalmente após perceber que, mesmo pagando as ferramentas, o livro sobre encanamentos e demais custos ainda vai economizar muito em comparação ao custo da visita de um profissional.

Pense na mais famosa regra da economia: não existe almoço gratuito. Mesmo que alguém lhe ofereça um almoço sem esperar que você retribua o convite ou converse durante a refeição, o almoço não saiu de graça. O tempo que você passou no restaurante custou-lhe alguma coisa em termos de oportunidades descartadas.

Há quem considere muito deprimente a ideia de custo de oportunidade: imagine passar a vida toda calculando se o seu tempo seria melhor empregado noutro lugar, fazendo alguma coisa mais lucrativa ou prazerosa. Porém, de certo modo, é da natureza humana fazer exatamente isso, estamos sempre avaliando os prós e os contras das decisões.

No mundo dos negócios, um lema popular é “relação preço-qualidade”. Dizem que as pessoas querem que seu dinheiro obtenha o máximo que puder. Porém, há outro lema ganhando terreno rapidamente: o “valor do tempo investido”. Amaior limitação de nossos recursos é o número de horas que podemos dedicar a alguma coisa, e por isso procuramos maximizar o retorno do tempo investido.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top